Saiu no G1: Vereador é suspeito de ameaçar homem que ficou nove dias em fila para matricular filha em creche - Abre o Olho

Últimas

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Saiu no G1: Vereador é suspeito de ameaçar homem que ficou nove dias em fila para matricular filha em creche

Vereador Denis Maciel é acusado de ameaças. — Foto: Arquivo PessoalA Polícia Civil investiga a suposta ameaça feita pelo vereador Denis Antonio Maciel, de Cáceres, a 220 km de Cuiabá, contra um homem que tentava, há 9 dias, matricular a filha de dois anos na creche "Escola Madre Maria Estevão". O vereador nega a ameaça e diz rer sofrido tentativa de intimidação. (Veja a versão completa dele ao final da matéria)

Clarindo Tavares da Silva Neto contou à reportagem que ele e outras dezenas de pais aguardavam na fila desde o dia 1º de janeiro para conseguir matricular as crianças na creche.

Nessa terça-feira (8), no entanto, a Prefeitura de Cáceres baixou um decreto afirmando que as vagas não obedeceriam à ordem de chegada.

Um grupo de pais foi à Câmara para pedir para os vereadores derrubarem o decreto do Poder Executivo.

“Quando eu pedi para o vereador Denis Maciel assinar o documento contra o decreto, ele respondeu que não ajudaria esse 'bando de vagabundos', referindo-se aos pais que aguardam para matricular seus filhos na unidade de ensino”, afirmou Clarindo.

No boletim de ocorrência, ele diz que o vereador o ameaçou, dizendo que “o encontraria na rua”.

“Ele falou alto com todos os pais que estavam ali. Todos são testemunhas”, afirmou Clarindo.

Ainda segundo o homem, o vereador teria tentado agredi-lo fisicamente, mas foi contido pelo grupo de pais.

Ao G1, o parlamentar afirmou que Clarindo o denunciou e tentou intimidá-lo para que se posicionasse contra um decreto do prefeito Francis Maris Guia, que havia os critérios para a matrícula.

"Quando cheguei à Câmara, já tinha cerca de 30 pessoas lá, e o Clarindo veio até mim dizendo que eu tinha que votar contra o decreto e quando eu disse que iria analisar ele apontou o dedo para mim e disse que 'eu estava no bolso do prefeito'", afirmou.

O vereador afirmou que também registrou um boletim de ocorrência contra o morador na terça-feira (8).